O que é a Trio e como vamos transformar o mercado financeiro?

Trio

#OPENBANKINGBRASIL

|

Leitura de 5 minutos

Nós, da Trio, somos um time de pessoas comprometidas com um mercado financeiro mais democrático, onde os benefícios do Open Finance possam ser compartilhados entre as instituições, o ecossistema de inovação e as pessoas.

O que fazemos?

A Trio desenvolve uma plataforma plug & play de infraestrutura de tecnologia que acelera o time-to-market de empresas com visão de inovação para acessar o Open Finance dentro das normas estipuladas pela Lei Geral de Proteção de Dados e pela fundação internacional OpenID Connect.

De forma simplificada nossa plataforma fornece um conjunto de APIs (application programming interface) para que empresas, nossas clientes, possam acessar dados bancários mediante consentimento dos seus clientes, e assim oferecer inúmeras vantagens. A Trio dá a seus clientes, empresas com visão de inovação, superpoderes de fintech, melhorando processos e cortando intermediários nas relações financeiras.

Por que criamos a Trio?

Trabalhamos por um sistema financeiro mais aberto às pessoas e à inovação. Sabemos que desenvolver uma infraestrutura internamente pode demandar muito tempo e dinheiro. Isso é um desperdício quando se sabe que o verdadeiro valor do Open Finance está em pensar em produtos melhores. Desenvolvemos uma solução de mercado, de fácil integração, que permite aos nossos clientes enxergar além.

Quem buscamos ajudar?

Aqui na Trio focamos em auxiliar softwares de gestão de empresas, companhias de crédito, marketplaces e demais clientes do setor de varejo e serviços, fluentes em tecnologia SaaS.

O Open Finance:

Regulamentado e faseado pelo Banco Central do Brasil para bancos, instituições financeiras e fintechs, o Open Banking Brasil está acontecendo neste momento, abrindo caminho para uma gradual transformação do ecossistema financeiro. O intuito do Open Finance, evolução do Open Banking, é aumentar a oferta de melhores serviços financeiros para os brasileiros. Dentro deste sistema, existe um fluxo de informações que foi legitimado pela LGPD: o consentimento seguro a dados bancários. Pela primeira vez, não mais os bancos, mas o cidadão torna-se dono dos seus dados bancários (extratos, movimentações, saldo). Tendo dados em mãos e concedendo o acesso a terceiros, o cidadão pode solicitar crédito, comparar ofertas ou até mesmo autorizar movimentações na sua conta bancária. Na Trio, trazemos este viés para o mundo empresarial. Por exemplo: um dono de uma rede de farmácias pode fornecer ao seu software de gerenciamento (ERP) acesso à conta bancária, autorizando a simples conferência/conciliação automática do caixa do dia. Um lojista pode autorizar que um correspondente bancário visualize suas movimentações dos últimos 12 meses para que uma análise mais assertiva seja feita, em busca de um crédito com juros mais baixos.

O processo é seguro?

Sim. Diferente, por exemplo, da adoção das redes sociais, onde não havia a ideia de segurança e metadados no início de sua criação, o Open Finance só tem espaço para surgir no mundo todo com a consciência de que: para que uma rede de transações monetárias digitalizadas possa existir é necessário, em primeiro lugar, que esta rede seja segura. A plataforma da Trio é responsável por receber dados do usuário para entregar ao nosso cliente de forma encriptada (sem ver o dado) e com consentimento prévio do usuário que tem consciência sobre I. a natureza dos dados que está compartilhando e II. até quando acontece esse compartilhamento com a instituição financeira em questão - tudo em conformidade com a LGPD. Como os dados são compartilhados com a instituição, e não com a Trio, a API armazena os dados sensíveis utilizando uma encriptação chamada assimétrica, assim os dados só poderão ser acessíveis se quem os estiver acessando tiver em mãos a sua chave privada (token), que é disponibilizada apenas no momento de sua criação. Senhas e dados de acesso, portanto, nunca serão disponibilizados para a Trio ou para a instituição solicitante - são de porte do cliente.